Home | @busar | FAQ | Notícias | Processos | Imprimir | CADASTRO | ATUALIZAÇÃO | PAGAMENTO | SEU IP : 54.162.166.214
ABUSAR e INTERNET 
Apresentação
Como se inscrever
Benefícios
Atualizar Cadastro
Teste de LOG OFF
Perguntas freqüentes
Links recomendados
Contatos
Custos

Biblioteca
Dados Internet Brasil 
Material de imprensa
Notícias: News Fórum
Notícias publicadas
Termos/Cond. de Uso
Circulares
Linha do Tempo

LEGISLAÇÃO
Justiça
Processos
Regulamentação Anatel
Documentos
Consulta Pública 417

TECNOLOGIA
Manuais
Modems - Configuração
Testes de Velocidade
Conexão/Traceroute
Autenticação
Tutoriais
Tecnologias
VoIP
Portas
Provedores
Antivirus
Hardware Cabos
Linux: dicas de uso
Redes privadas VPN
Softwares (download)
FTP Abusar Pitanga

SEÇÕES
AcesseRapido
ADSL
AJato
BRTelecom
Cabo
Humor
Neovia
Rádio
Sercomtel
StarOne
TV Digital
Velox
Vesper Giro
Virtua

Serviços GDH


Guia do Hardware

Fórum GDH

Serviços ModemClub

SpeedStat
Teste sua conexão
Mostra IP
Descubra seu IP e Host Name
Suporte ModemClub

Fórum Banda Larga

Clube das Redes
Clube do Hardware
ConexãoDLink
Fórum PCs
InfoHELP -
Fórum
Portal ADSL - Fórum
PCFórum
- Fórum
Tele 171

Fale com a ABUSAR
Escreva ao Webmaster
Material de imprensa

Copyleft © 2002 ABUSAR.org
Termos e Condições de Uso

Speakeasy Speed Test

WEBalizer

Webstats4U - Free web site statistics Personal homepage website counter


Locations of visitors to this page
 

Financial Times
Privatização não resolveu o problema da telefonia no Brasil
by
Jonathan Wheatley - 05/01/2004

Links Originais:
Portugês - Privatização não resolveu o problema da telefonia no Brasil
Inglês - Brazil faces telecoms dilemma

Cinco anos após a privatização da indústria telefônica brasileira - a maior em toda a América Latina - o modelo dos serviços de telefonia fixa começa a ser questionado.

A intenção do governo era promover a livre competição e impor cada vez menos regras ao mercado de telefonia. Porém os críticos advertem que, caso as agências reguladoras não intervenham com firmeza, o Brasil terá substituído o monopólio estatal pelo monopólio privado.

"Aplicaremos a lei até o limite extremo para impedir a formação de um novo monopólio", afirma Amos Genish, presidente da GVT, uma operadora que atua nas regiões centro-oeste e sul do país. Genish está preocupado com o desfecho da consolidação.

Quando a indústria telefônica brasileira estava falida e foi vendida em 1998, os serviços de linha fixa foram repartidos entre uma grande companhia internacional para telefonia de longa distância e três grupos regionais, e foram concedidas licenças para companhias "espelho" que competiam com eles.

Nos anos seguintes, foi permitido que as companhias estendessem as operações para além de suas licenças originais e executassem serviços regionais ou de longa distância. A concessão destas licenças dependia do cumprimento de metas definidas pela Anatel, agência que regulamenta a telefonia brasileira.

Em agosto de 2003, venceu a cláusula que vetava alterações por um período de cinco anos. No entanto, ainda vigoram as regras que proíbem a propriedade indireta. Deveria surgir, então, um mercado competitivo e sem regulamentações, maduro para a consolidação.

Mas a competição não veio. As operadoras competem com suas "companhias-espelho", e as operadoras de longa distância competem com outras operadoras regionais e nacionais. No entanto, princípios hoje consagrados pela lei, como o direito de transferência (que garante aos usuários o direito de mudar sua operadora sem alterar seu número de telefone) e a abertura (que obriga as operadoras a garantir aos seus competidores o acesso a suas redes) ainda não foram implementados.

"A luta dos monopólios locais pela preservação de sua hegemonia ocorreu em todo o mundo", afirma Purificacion Carpinteyro, vice-presidente da Embratel, a operadora nacional e internacional de longa distância que foi privatizada. "Toda vez que um competidor solicita às operadoras regionais o acesso à rede, seu pedido é negado, depois adiado, e depois eles rebaixam a qualidade do serviço e inundam o mercado".

Analistas afirmam que tanto a Anatel quanto o ministério das comunicações promovem a competição de forma extremamente lenta. Com a consolidação, o prejuízo à competição será ainda maior.

A venda da Embratel pela MCI, a operadora americana, desperta preocupações.
O principal candidato é a mexicana Telmex. Concorre também um consórcio comandado pela Telos, fundo de pensão da Embratel. O que mais se teme é uma oferta que fosse elaborada pelas três operadoras regionais de telefonia: Telefonica, Telemar e Brasil Telecom.

"As grandes operadoras regionais não competem entre si. Elas não querem a competição", afirma Rubens Glasberg, editor da Teletime, uma revista dedicada ao setor que também é publicada na Internet. "O único verdadeiro competidor foi a Embratel, que também controla mais da metade do mercado corporativo. Se a Embratel for comprada, eles apenas dividirão os custos e fortalecerão os monopólios".

Uma fonte vinculada às companhias regionais afirma que eles "lutarão duramente" contra a Telmex, e que a Embratel seria desmembrada caso a aquisição fosse consumada. Advogados advertem que não há impedimentos legais ao desmembramento.

Alguns executivos fazem uma outra avaliação. "No tocante à proteção da competição, o recado deve ser muito claro: nem pensem nisso", diz um deles. Caso as operadoras não adquiram a Embratel, poderão comprar a Intelig, "espelho" da Embratel. Juntas, Telemar e Brasil Telecom (sem a Telefonica) supostamente elaboram uma oferta, a exemplo da GVT.

O governo brasileiro, que recentemente criticou o trabalho das agências reguladoras, não tem comentado a questão. Mas a recente indicação de um representante considerado um experiente tecnocrata para o conselho da Anatel - além de rumores quanto a mudanças em sua direção - indicam que, finalmente, a agência viria a adotar uma postura severa.

Tradução: André Medina Carone

Google

Digite os termos da sua pesquisa
   
Enviar formulário de pesquisa 

Web www.abusar.org
KoriskoAnim.gif

Internet Segura

Teste a qualidade de sua conexão Internet

abusarXspeedy.jpg (29296 bytes)

AGE - OSCIP

Limite de Download

DICAS

Você pode ser colaborador da ABUSAR
Envie seu artigo, que estudaremos sua publicação, com os devidos créditos !

Compartilhamento de Conexão

Alteração de Velocidade

Mudança de Endereço mantendo o Speedy Antigo

Cancelando o Speedy

Comparação entre Serviços de Banda Larga

Qual a melhor tecnologia da banda larga?

Como saber se seu Speedy é ATM, Megavia, PPPOE ou Capado (NovoSpeedy)  

Guia para reduzir gastos Telefônicos

Economizando Megabytes em sua Banda Larga

"Evolução" dos Pop-ups do Speedy

SEGURANÇA

Crimes na internet? Denuncie

Segurança antes, durante e depois das compras

Acesso a bancos
Uma ótima dica, simples mas muito interessante...

Curso sobre Segurança da Informação

Uso seguro da Internet

Cartilha de Segurança para Internet
Comitê Gestor da Internet

Guia para o Uso Responsável da Internet

Dicas de como comprar
com segurança na internet

Site Internet Segura

Dicas para navegação segura na Web

Proteja seu Micro

DISI,jpg
Cartilha de segurança para redes sociais

Cartilha de segurança para Internet Banking

Cartilhas de Segurança CERT

  1. Segurança na Internet
  2. Golpes na Internet
  3. Ataques na Internet
  4. Códigos Maliciosos (Malware)
  5. SPAM
  6. Outros Riscos
  7. Mecanismos de Segurança
  8. Contas e Senhas
  9. Criptografia
 10. Uso Seguro da Internet
 11. Privacidade
 12. Segurança de Computadores
 13. Segurança de Redes
 14. Segurança em Dispositivos Móveis

Proteja seu PC
Microsoft Security

AÇÃO CIVIL PÚBLICA - MPF
HISTÓRICO
- Processo - Réplica - Quesitos - Decisão

Quer pôr fotos na Web e não sabe como?

Mantenha o Windows atualizado (e mais seguro) !

Tem coisas que só a telecômica faz por você !

Terra

Rodapé


Fale com a ABUSAR | Escreva ao Webmaster | Material de imprensa
Copyright © 2000 - 2009 ABUSAR.ORG. Todos os direitos reservados.
Termos e Condições de Uso
www.abusar.org - www.abusar.org.br

 Search engine technology courtesy FreeFind